Sucesso

Nicolai Gógol, atormentado sabe-se lá por que demônio, queimou a segunda e conclusiva parte de sua obra-prima, Almas Mortas. Reescreveu tudo e, mais uma vez descontente, jogou os originais pela segunda vez na lareira, deixando incompleto para sempre um dos maiores romances da literatura russa. Durante muito tempo Moby Dick foi considerado pela crítica, sempre ela, um fracasso na carreira do autor americano Herman Melville. Céline morreu esquecido. Já Emily Dickinson só teve dez poemas publicados em toda a sua vida. Todos foram tornados públicos de forma anônima e nenhum por iniciativa da poeta. O francês Honoré de Balzac passou boa parte da vida envolto em dívidas intermináveis, fato que o levou a profundos estados de depressão após mudar consecutivas vezes de cidade para fugir do assédio dos credores. Marcel Proust, o enigmático e triste autor de “Em busca do tempo perdido”, só passou a ser reverenciado como um grande nome da literatura mundial após a sua morte em 1922. A americana Sylvia Plath foi laureada em 1982 com o prêmio Putitzer, um dos mais importantes prêmios da literatura mundial, pelo conjunto de sua notável e contundente obra. A atriz havia falecido 19 anos antes. O jovem e inquieto Rimbaud, aos 19 anos, desiste para sempre da literatura e queima todos seus manuscritos. Nunca mais o mundo leria um poema inédito de sua autoria. O criativo Júlio Verne, autor da maior série de livros de aventura dos tempos modernos, chegou um dia a afirmar que o maior desgosto de sua vida era jamais ter sido reconhecido na literatura francesa. Kerouac passou boa parte da vida vivendo às custas da família ou de pequenos bicos. Com Charles Bukowski não foi muito diferente.

E você quer fazer sucesso e ser reconhecido mundialmente já no primeiro livro.

®Felipe Damo

 

0 Replies to “Sucesso”

  1. Vale lembrar Kafka também que com sua neurótica “Carta ao Pai” levou milhares de pseudo-intelectuais à depressão…

    Quanto ao sucesso no primeiro livre, diria enfático o xiru missioneiro: “Não tá morto quem peleia!”

    E segue o baile…

  2. Sucesso no primeiro LIVRO (desconfio ser duplamente canhota)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.