boletim de um crime passional

lá fora

depois da rua

ouço um tiro

ou um tapa

um beijo de despedida

 

 

dizem que foi

crime passional

mas o jornal

sempre o jornal

 

 

o jornal coloca a culpa

nas calotas polares

no aquecimento

e em uma nova

era glacial

 

 

depois da rua

há uma casa

de estranha geometria

e lá dentro corações

que se esbarram em toda parte

e que adormecem pra sempre

assim que surge o dia

 

 

alguém ouviu um tiro

ou seria um beijo

que à noite espera

como a primavera

uma flor lilás

 

 

o jornal coloca a culpa

nos homens

na inflação

na violência da tv

 

mas o crime é passional

 

 

lá fora

depois da rua

há uma casa

e nela vive alguém

se vai à feira

se pagou a última

prestação do carro

se vai ser pai em setembro

se acertou na loteria

se brigou com o padre

se bateu no dedo trêmulo

ao martelar um cartaz que dizia

pra esperar um novo ano

pra esperar um novo amor

pra esperar um novo tempo

pra esperar até cansar

 

 

se esperou o bastante e cansou

ninguém sabe

 

 

lá fora

depois da rua

houve um tiro

um tapa

um beijo

 

 

o jornal coloca a culpa

naquele filme violento

busca uma explicação

mas até os anjos sabem

que foi crime passional.

 

0 Replies to “boletim de um crime passional”

  1. Hélio Jorge

    …já isso, diferentemente do anterior, é de um colorido que dói profundo, mais que faca n’água, duma poça estacionada no fim do mundo!

  2. pois é, é como diz adélia:

    “De vez em quando Deus me tira a poesia.
    Olho pedra, vejo pedra mesmo.
    O mundo, cheio de departamentos,

    não é a bola bonita caminhando
    solta no espaço’.

  3. Oi 🙂

    Vim conferir seu espaço, recomendado por terceiros… Gostei do bom gosto estético e dos célebres devaneios. (Tentei rimar notou? srsrs). Gostei mesmo. Abraço!

  4. …saúde não tá indo embora não, está DILUINDO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.