Buda, Almodóvar e a Sociedade dos Pintores do Ângulo Insólito

Quem desviar o olhar das alturas diante do Palácio de Potala no Tibet e olhar um pouco em volta verá dezenas de varais com pequenas bandeirolas dançando ao ritmo do vento. Em cada uma delas os tibetanos escrevem seus problemas, crentes de que o vento os leve para longe, de acordo com a tradição milenar budista.

O vento também é um dos protagonistas de Volver (2006), o filme mais recente do endiabrado e problemático cineasta espanhol Pedro Almodóvar que só agora tive a oportunidade de assistir. Assim como na tradição budista, na película estrelada pela atriz de estonteante e estranha beleza Penélope Cruz, o vento guarda para si uma estranha relação com as pessoas e seus problemas. Almodóvar percebeu isso e mandou o recado. E quem diz que cinema não é filosofia?

 

Porém o que mais chama a atenção no filme do espanhol amigo do falecido Caetano é um ângulo em especial que ele utiliza para várias das tomadas. O chamado ângulo insólito. As imagens são vistas diretamente de cima delas, em um ângulo de 90° a partir dos modelos normalmente aceitos pelo cinema tradicional. É diferente. É bonito. É um outro olhar.

 

Distante geograficamente da Espanha, mas próxima das tendências almodovarianas, Itajaí assistiu no final do ano passado ao surgimento da Sociedade dos Pintores do Ângulo Insólito do Vale do Itajaí-açú. Um grupo de artistas plásticos liderados pelo não menos endiabrado Rettamozo, um cânone das artes-diversas e do showbizz curitibano. Surgida em uma oficina de arte e criação na Casa da Cultura a sociedade promete aprontar neste ano que chega, pintando o mundo sempre a partir das alturas. As obras começam a pipocar por aí e logo os itajaienses poderão conhecer melhor essa tendência (?) mundial já descrita por Roland Barthes, que a batizou com esse nome peculiar. Depois dizem que vivemos em um lugar atrasado. Oras.

 

Volver se passa na região da Mancha, na Espanha, onde venta muito. Outrora havia por lá os célebres moinhos de vento imortalizados por Cervantes. Hoje pululam na região os imensos ventiladores das usinas eólicas. No filme, o vento é responsável por duas coisas que deliciosamente dominam toda a trama: causar incêndios e deixar as pessoas loucas.

 

Aqui não será diferente. A loucura não deve passar muito distante da arte incendiária dos pintores do ângulo insólito. É melhor pendurar as bandeirolas!

 

0 Replies to “Buda, Almodóvar e a Sociedade dos Pintores do Ângulo Insólito”

  1. Hélio Jorge

    Muito bom, Damo!

    Essa crônica (?) soou como uma brisa e esse bom vento – o da sua sempre boa escrita – me conduzirá o quanto antes a minha poltrona. Dela, irei assistir, pela primeira vez, Volver.

    Quanto ao ângulo insólito, já exercito isso desde que me entendo de gente ao esmagar formigas e baratas sempre vendo-as de cima. Ângulo insólito pra mim é agora olhá-las diretamente nos olhos!

  2. Enzo

    esses seus títulos são ótimos… eu as vezes me pego rindo com o “Rômulo Mafra e os horrores da Guerra Civil Espanhola”… isso é uma marca sua… putz, explore sempre isso, faz bem pra alma de quem lê!!

    e a cobra cuspideira está tinindo contra o carnaval!!!
    abraçon

  3. felipedamo

    marcas… já bastam aquelas que ficaram…

    hehehe

  4. Lorreine Beatrice

    Vento sempre me lembra os prenúncios de Ana Terra 🙂

  5. Camila Pimenta

    Almodóvar é sempre excitante… cada filme, não só os mais novos, mas também aqueles escondidos no passado tão próximo que poucos sabem que são dele… o que fascina são as cores, a trilha, e claro cada historia contada de maneira única… ângulos, já havia percebido, mas não tinha uma opinião formada sobre esse tema… vou rever e depois, um dia quem sabe explanar…

    Palavras-chave pra encontrar Almodóvar:

    desejo… pecado… vermelho… sexo… mulher… comida… luxuria…

    continua…

    p.s: expectativa em relação a Sociedade comentada… vou ficar no aguardo de alguma exposição..

    by

  6. Enzo

    tsc tsc seja original! muita gente já defende Buda! defenda Yashodara comigo (eu ia fazer um trocadilho com “bunda” mas não aguento mais essas coisas kkkkk)

  7. Hélio Jorge

    Desculpe, Damo, mas eu sonhei que o seu escrito tinha um título diferente e era esse:

    “Bunda, Alcova e a Sociedade dos Pintos do Ângulo Insólito.

    Tô ficando igualzinho ao Mafra! Meus deus!

  8. felipedamo

    pô, Buda na alcova não dá…rs

  9. Rafaelo

    Quanto a curiosidade sobre A Sociedade dos Pintores do Angulo Insolito….nada melhor que visitar o site do Genio Retta: http://rettamozo.multiply.com/

  10. Insolit Angle Combo in forma:
    Exposição em Atenas em dezembro de 2009/fev 2010. Oficina no Museu do Olho (do Cú ritiba) , em 7 de fev de 2010. Pintura de um telão de 10 metros por 3 com 40 crianças…e alguns adultos…Exposição de obra do acervo do Museu Oscar Neimeyer (?) durante o mês de fevereiro. Obra no acervo do Museu do Olho a partir daí: Jardim do sorriso interior” Tela de 1,80m por 1,80m inventada em Cabeçudas e Curitiba. Por Patrick Albuquerque, Rafaelo de Góes, Adécio Adriano, Caco Rettamozo e Retta. Nesta época Daniela Albuquerque ainda não fazia parte do grupo. Oficinas em Pontal do Paraná e Xangrilá, lá no Paraná, pintamos 21 metros de obra-prima-pobre com mais de 100 crianças. Exposição “sMAC!” Um beijo no boom da arte contemporânea, de 18 de março a 24 de abril no MAC ( Museu de Arte Contemporânea do Pr.). No próximo Salão Internacional de Artes de Itajaí estaremos fazendo a abertura. Vamos fazer o povo meter o pé na lama!
    Também foi pintada uma parede em Ibaiti, interior do Paraná e na Lap, com 30 crianças, ambososdois! Além de um que está na mão de 30 crianças de uma creche da periferia de Curitiba, Fazendinha.
    Enquanto isso aceitamos convite para uma cervejinha.
    Obrigado pela atenção!!! BeijoKisses!!!
    A gente faz qualquer coisa só não Damo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.