mil batalhões

passei o resto da tarde
a contar cada estranheza
dessa aventura incorreta
que é ter gosto por ti

à parte a tua ausência
tua distância matemática
a vida é sempre uma espera
e viver é demorar-se
nas incertezas
na estrada
nos saguões de um aeroporto
nas fronteiras que desconheço
na divisa do teu corpo
vigiado por mil batalhões

te quero assim
imperfeita
te quero longe e ausente
te quero saudade pousada
de leve no peito aflito
nessa manhã demorada
à espera do correio
que não chega
e se chega
é nada

à espreita de notícias tuas
de convites
de beijos na rua
na chuva torrencial
nos apartamentos anônimos
dos hotéis da capital

que os deuses me livrem
da mulher perfeita
da bandeira perfeita
e do verso perfeito

0 Replies to “mil batalhões”

  1. Alex Nascimento

    Maravilhoso, você leu meus pensamentos cara
    estou desse tipo agora

    abraço

  2. alex, avise quando voltar a ter blog que eu quero linkar aqui!

  3. isa

    Quando é que você vai arrumar uma mulher de verdade hen?

  4. Francamente, querida…não é de sua conta!

    E aprenda a usar as vírgulas…

  5. yoki

    hihihihihihihihihihihihihihihi

    pauuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. nati79@hotmail.com

    “que os deuses me livrem
    da mulher perfeita
    da bandeira perfeita
    e do verso perfeito”

    alguns versos já nascem grandes

    grande felipe! cada vez melhor!

  7. Hélio Jorge

    Mil batalhões! Putz! Tudo nice, este último trecho que a Nati69…ups…79 se referiu é mesmo o melhor! Mature! Isso me lembrou umas pérolas do cancioneiro moreno que vigora até our days after that:

    – Não, Dilma, esse calção é muito grande pra mim! – Lula da Silva num chuurraco na berira piscina.

    – Lembra, Ruth, aquele barbudinho do oitavo período, que dizia que gostava de mim… – Fernando Henrique, lendo um caderno de notas da época da faculdade.

    – Gastei tudo que tinha… Eu juro – Paulo Maluf pra mãe terminal!

    – Eu sei que sou uma artista… Vejam só os meus cinzas! – Adolf Hitler falando pra uma mesa branca…

    – Eu dou um espaguete, pra sair de não uma macarronada, belo! – Volnei Morastoni numa reunião de gabinete.

    – Eu zou o teu zineiro, pra não sair do meu bolzo, nêgo! – Jandir Belinne

    – Um grande amor jamais será uma paixão sem uma grande amor que por conseguionte será uma granmde paixão! – F. D. no blog do mesmo.

    – Eu tô é afins, nêgo… Cadê a xola? – Rômulo Mafra, deseperado na madrugada.

    – Se der eu traço, mas se não der eu traço assim mesmo! – Sebastião Oliveira pintando os muros do alheio (das alheias!)

    – Let it be! Pô! Num quero ser chato, mas Let it be pelo well dos Worichás, because I’ve have a hard day’s night, man! Êparrê! Helllp! – André Pinheiro

    Hélio SB (o sem blog!)

  8. se querer linkar o meu aí…agradeço…pq vc eh um cara super pop…
    http://ndja.spaces.live.com/

    ah e voltando a vaca fria …o ângulo insólito vai pros JArdins da grande SP…uma expo super demais…global meismo…já que no Salão de Itajaí tomou uma roxxxxxca…hehe

  9. Camila Pimenta

    é eu também quero… onde será que está o homem, que não sendo pefeito me atrai… é uma busca dificil, cansativa… agora fico aqui… no aguardo…

    lindo… palavras que serão fortemente marteladas em minha mente…

    by

    Camila Pimenta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.