0 Replies to “multidão”

  1. Hélio Jorge

    Muito boa, Felipe. Uma síntese enorme, esse poema.

    Muitas das vezes as lembranças são sufocantes. Ficam por muito tempo impregnadas como micróbios por entre as mais invisíveis frestras de nossa existência, e pra sairem, precisam de uma grande ascepcia. Mas, isso, dói e leva tempo.

  2. eu sei que parece emo, mas é um poema realista, não vejo nada de triste nele, bem pelo contrário, ele é fruto de momentos bons que tenho vivido ultimamente…

  3. Hélio Jorge

    Eu sei, caro amigo Felipe, mas esse o tipo de comentário futurista! Rss!

  4. shiva me poupe de tal má sorte…

  5. wonderland

    é bom ficar sozinha

  6. que pessimismo meu car’helinho!!! poxa…

    isso é fruto da sequência lógica que a sociedade se acostumou a viver… coisa de novela… mas creio que dependa de nós fazer diferente… pq não um futuro de bons sentimentos, momentos e lembranças?

  7. Hélio Jorge

    Em verdade eu digo a você, meu caro, que essas ausências, às vezes, tomam um rumo incontrolável e podem exigir de quem as sente muito mais daquilo que podem dar, realmente. Quantas vezes eu ouvi falar de pessoas que viveram por muito tempo, satisfeitas em ter as tais “multidões” de que fala o seu poema, quando na maioria das vezes, quem as provocou já havia saído de suas vidas e eles nem notaram.

  8. Hélio Jorge

    Priscila, querida, longe de mim querer secar a relação entre pessoas tão caras a mim. Rejubilo-me com o bom momento entres vocês. Apenas fiz uma análise de como as palavras contidas no poema me pareceram.

  9. ausência, a lembrança, a falta… são bons sentimentos… prova de que aqueles momentos foram importantes e de alguma forma acrescentaram algo pra quem os viveu…

  10. ai não car’helinho… to sentindo um ar de intriga aí!
    comprassi guerra nego…

    ahsuiashiuahs

  11. Car’helinho, a Priscilla tem sempre razão…

    sorry…

    hehehehehehehe

  12. mentira dele… nem sempre eu tenho razão… rs.. ele só ta querendo ser querido na frente de vcs… rs…

  13. aimeudeus… era só o que faltava… poemas em homenagem aos comentários???? o que este garoto fará em seguida para alcançar a fama internética?

  14. nao…o “aqui” do poema não é o “aqui no blog”…é o “aqui em casa” mesmo…eu não teria essa empáfia…hehe

  15. Hélio Jorge

    My god! or my godness?

  16. olha, o que quero dizer é que mesmo com a ausência, os passos silenciosos
    que se perdem pela sala, a lembrança, a falta, o silêncio, o que importa mesmo é que o cheiro no cobertor é o cheiro no Cobertô do Seba!!!!!!

    hehehehehe

  17. Hélio Jorge

    Tão vendo no que dá comentar seriamente um poema apaixonado!

    Não resisto em comentar que no post acerca da função dos lábios, um jovem indagou o mestre Seba sobre o assunto e mestre sabiamente lhe decifrou o enigma. Quem quiser saber é só ir no post citado e conferir.

  18. Camila Pimenta

    “os passos silenciosos
    que se perdem pela sala”

    gostei… singelo… um deprimente feliz… novo… velho… até saboroso…

    “teu cheiro no cobertor”

    dormir com a ausência… sentir-se só, satisfazer-se só… muitas vezes a cama cheia e você ali, sozinho…. bonito né… hehehhe

    by

  19. Camila Pimenta

    ah!!! tá rolando uma terapia eh!!!… nossa… um blog mil e uma utilidades… é isso ai…

  20. vai ser bom mesmo quando começar a dar dinheiro…rs

  21. “não me deixaste só

    tenho aqui uma multidão”

    mostrei este versículo ao Seba.
    interrompendo sua meditação,
    ele, laconicamente, apenas
    balbuciou a resposta, que na
    verdade é um aforismo em forma
    de pergunta:

    porra! cinco contra um agora é multidão?

  22. Camila Pimenta

    hahahhahhahahaha… bahhhhh… hahahhaahha ótimooooooo…

  23. Hélio Jorge

    Multidão mesmo foram os telespectadores assistindo o nosso blogueiro sendo assediado hoje pelo bispo durante uma entrevista, na qual o referido pastor solicitava um pedaço do cobertô do Seba. Inesquecivel momento!

  24. aliás, Helinho,
    caso o ilustre confrade ainda não
    tenha conhecimento,
    Edir Macedo e Silas Malafaia estão
    em litígio por causa de um pedaço
    de 7,2 x 3,4 cm do Cobertô.

    por conta da disputa judicial, Macedo
    teve que interromper a realização das edições da
    “Noite de Adoração do Sagrado Cobertô”,
    que vinham mobilizando milhares de pessoas
    no Rio de Janeiro. funcionava mais ou menos
    como o já famoso “Desafio”: o fiel doava para
    Jesus e o Cobertô, por intercessão
    divina, “cobriria” todas as dívidas que ele deixaria
    de pagar por causa da doação.
    o sucesso era tanto que Macedo já pensava em
    utilizar o Estádio do Engenhão para o evento.
    mas a CBF não autorizou.

    mas a empreitada da Universal Church realmente
    melou quando Silas Malafaia entrou na Justiça
    acusando Macedo de lhe surrupiar a sagrada
    relíquia durante uma participação dos dois no
    encontro dos Gideões, em Camboriú (SC).

    o referido encontro, aliás, não acontece ali
    por acaso. a pequena cidade, apelidada de
    “World Ass Hole” pela GIM (Gospel International
    Missions), ou “Judas Ass Hole”, pelos mais fanáticos,
    fica a poucos quilômetros de Itajaí, cidade onde
    nasceu Sebah, avatar que já é conhecido como
    o Maomé – e põe “mé” nisso! – brasileiro.

    por conta do nascimento de Sebah – na verdade,
    Al Sebah, segundo os muçulmanos -, Itajaí, que eles
    insistem em grafar Itajahy, é a terra prometida.

    por conta da força espiritual do Cobertô, arqueólogos
    contratados por Macedo, Malafaia e outros líderes
    evangélicos, trabalham duro na localidade de
    St. John – São João -, mais especificamente em
    Green Square (ou “Verde”), onde nasceu e reside
    Al Sebah.

    o objetivo, além de encontrar mais fragmentos
    do Cobertô, é verificar se esta relíquia é
    mesmo – como dizem alguns cientistas – parte
    do Santo Sudário.

  25. isso sem contar que INRI Cristo já declarou que Seba é seu Pa-rrái

  26. padre Quevedo até tentou declarar que “o Cobertô non ecsiste”. mas, antes de concluir a infame sentença, quedou paralisado ante a magnitude da sgrada relíquia.

  27. Helio Jorge

    Caro Felipe, ando preocupado com a demora de mais assunto a ser postado. Isso tem ocasionado danos irreparáveis a horda de fans seus. A referida e injustificável demora, pode fazer você perder seus direitos civis e religiosos, entrando para história como um escritor sem sangue nas veias e sem coração. Assim, receba esse protesto como forma de protesto e, por favor, corra, Damo, corra! Poste logo essa coisa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.