alguma madrugada

Para Priscilla

em sonhos brandos
subo penhascos
me disfarço em abismos
balões interplanetários
e alguma madrugada

[procuro no coração meu Oriente]

eu que sou poeta
eu que sou povo
e sou homem
e multidão
e gente

levanto o rosto para a luz
você – sol de viagem

mundo me faço
invento desertos
oceanos e cordilheiras
porque te amar é mais do que tudo isso

ficaremos você e eu
no fim ficará a paisagem
ficará o planeta rodando
em meu peito

relâmpago menino
meu amor
tão moço sentimento.

0 Replies to “alguma madrugada”

  1. Priscilla

    eu sempre fico sem saber o que falar… Lindo! Te amo!

  2. Num sei não, mas vou ter que me reclamar!

    Isto está contaminando a minha relação aqui em casa, pô!.

    O que aqui ando vendo, se assemelha as atitudes de um vizinho meu, que se acorda às 6 da matina, coloca um bermudão (puta merda, com esse frio!), um par de sandálias havianas, – aquelas que não soltam as tiras e não tem cheiro -, liga a mangueira e tome a lavar o carro como que cuida da mãezinha enferma!

    Nem quero falar do jardim, que o traíra corta com um esmero de um japa que faz sushi lá em Okinawa! Um acinte! Devo imaginar que, à noite, o infido escreva haicais de amor para sua companheira, além de dar-lhe banho, enxugá-la, colocá-la na cama nos braços, depois de vesti-la com um lingerie que o pérfido lhe comprou num sex-shop da vida, e ainda por cima, cantar-lhe músicas de Jane e Herondy no ouvido.

    Isso num pode, gente! São maus exemplos como esses que não devemos seguir! rsssssssssss

    Que inveja! Bjos aos dois! hehehehe

  3. ah, pois é…ah, pois é…

  4. É, tem gente que tem sorte em ter alguém para escrever assim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.