Certeza

A partida foi vencida
O amor foi conquistado

Das assombrações da natureza
A que mais me assusta
É a certeza

Onde a dúvida não faz morada
A certeza destrói uma a uma
Cada madrugada

Sepulta toda hipótese
A esperança de que um dia algo mude
A certeza mata revoluções na África
Destrói a camada de ozônio
Zomba do progresso científico
Reduz a expectativa de vida das crianças em Bangladesh
E há de se dizer – inclusive – que ela acabou com a cura do câncer no ano que passou

A certeza que me dá o sono tranquilo
Que acaba com noites mal dormidas
Como um gênio espreita atrás da porta
Me nega a surpresa
Me relega à rotina dos dias
Às tardes estivais onde nada, nada acontecerá

Essa é certeza contra a qual eu luto

Para que a partida continue
Para que o amor não seja só isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.