O Autor

Felipe Damo

Nasci numa Quarta-feira da Paixão na descida da Serra do Mico, onde a estrada faz uma curva. Era outono. Quase morri antes de fazer um ano. Depois me engracei pela vida e nunca mais parei de viver. Na infância fiz muitas coisas sérias: apanhei chuchu no telhado da garagem; montei uma banda que só tinha um baterista tocando um balde virado; tive criação de lagartas e escalei em tempo recorde o abacateiro lá de casa. Aos sete anos vim pra Itajaí. Morei na Rua das Sete Casas, onde o meu quintal era o mundo. Namorei todas as meninas do bairro. E elas não sabem até hoje. Já fui palhaço, vendedor ambulante, professor de inglês, empacotador de carne de siri, tradutor, seminarista. Já trabalhei na roça plantando arroz. Já apresentei baile de debutante. Já dei a volta ao mundo com uma mochila nas costas. Virei comunista e comecei a dizer poesias. Casei. Separei. Já fiz um filho, já plantei muitas árvores, e agora estou escrevendo um livro. Mas tudo isso me parece tão pouco. Passei a vida a me procurar. Me encontrava todos os dias pra me perder de novo, logo em seguida. Tive tudo. Perdi tudo. Mas meus dias sempre tiveram fundo musical. Aprendi que a vida vale a pena, e ser feliz é a lei, e nunca mais esqueci disso. Toco violão. Falo inglês. Sou jornalista. Sonho sem parar. E acho que estou gostando da menina mais bonita.

0 Replies to “O Autor”

  1. linda

    Lindos os teus poemas…
    Tens um dom inigualável!!!
    Parabéns…
    Escreves, como uma criança que brinca com seus brinquedos…
    Teces, como um artesão fia a roca…
    Estou impressionada…
    Mais uma vez, parabéns!!!

  2. Helen Francine

    Oi…

    Escrevo para dizer que teu ensaio sobre as ziquinhas de Itajaí está bárbaro. Foi numa manhã chuvosa de primavera, dentro da Casa Aberta, depois de falar com o Beto Severino e Ivana que comprei o Clap. Achei um amor a pose do Hélio na capa e simplesmente acelerei com a tua Zica, he, he, he!

    Parte do “Cadê a minha Ziquinha” entrou num trabalho meu para o curso da Academia Brasileira de Jornalismo Literário, que faço em Curitiba, tudo bem? Como autor escrevi: Felipe Damo é jornalista, que ainda na infância aportou em Itajaí.

    Se tiver interesse acessa: http://www.textovivo.com.br.

    Boa semana e ótimas pedaladas por aí…

    Ternura e poesia, sempre!

  3. Tu sabes bem que foi lendo exatamente esses texto que me encantei por vc, e acho que nesse caso, cabe perfeitamente um”sub-plágio”: “depois me engracei por VOCÊ e nunca mais parei…”

    beijo em ambas bochechas. 🙂

  4. Fala felipe. quanto tempo hein, my brother?
    to na área e com um projeto novo, a estrutura L.I.M.B.O. . oficialmente o euthanasia tá de “férias”. após 16 anos tocando resolvemos dar um tempo. a banda nova eh quase o euthanasia. tá bem legal, ve se consegue ouvir e manda um e-mail. viajei nos teus textos e fio feliz em saber que vc está na ativa. tá morando em itajaí? quando baixar em floripa dá um alô
    força my king. sempre.
    paz.
    mancha

  5. Marina Pinheiro

    Felipe, esse é uns dos textos mais lindos e simples que eu já li em toda minha vida!

    Grande abraço!

  6. Ahh… acabei de ler o “About” e você nasceu em uma Quarta feira da paixão? Então seu aniversário acabou de ser… Ou está sendo… =)

    Parabéns… Adiantados, ou Atrasados!

    Beijos!

  7. Gostei muito dos seus textos e poemas, mas já ia sair sem comentar ( e perder a oportunidade de lhe felicitar) quando entrei aqui. E este about está lindo, acredito que não há que não se identifique.

  8. Michelli

    Felipe entrei sem querer em seu blog. Adorei seus textos… Parabéns. Michelli

  9. Hamilton

    Cara…. adorei …parabéns…. não pare e não desista nunca…

  10. KELLY

    QUE CADA UM DE SEUS DIAS RECEBA DO ALTO A MAIS PURA MELODIA DE DEUS.
    O QUE É A VIDA SEM LUZ ,OLHAR PARA TRÁS É DESCOBRIR QUE SE TEM UM LONGO AMANHÃ ENTÃO VAMOS CAMINHAR E COM PEQUENOS PASSOS CONQUISTAR UM NOVO DIA.
    UM DIA DE LUZ….

  11. nossa gostei muito de seus textos, eles tem uma harmonia, me fez viajar e ao mesmo tempo me prender no trechos..
    parabens pelo seu dom.

  12. Negrito

    Felipe meu caro, estou aqui para parabenizá-lo pelo blog!… Quero dizer que muitas das coisas que você escreveu por aqui traduzem-me. Serei assiduo na leitura de teus escritos a partir de hoje. Encontro-me no trabalho e não consigo para de ler.

  13. sasha agram

    Achei teu blog por acaso lendo os textos sobre como esquecer um grande amor.
    Parabens pelo texto escrito e pelo outros postados. Ainda nao li todos mas tenho certeza q vou adorar.
    Sucesso!

  14. lucineide

    adorei seus poemas continui assim vc vai longe
    beijos!

  15. Aimê Zampoli

    Gostei muito dos seus textos e poemas, de alguma forma eles traduzem alegria, coragem, inspiração e tudo isso de um jeito muito bem humorado.
    Parabéns!
    E desejo conhecer seu livro!

    Beijos!

  16. Seus poemas são incríveis! Parabéns e sucesso!

  17. Dani

    Interessante… Mas talvez nem chegue ler o que escrevi, mas quero mesmo assim escrever. Vim pouco tempo para Itajaí, apaixonei-me pelas praias, pelas ruas, pelas pessoas, realmente parece um sonho aqui. Cai nas graças da beleza desse lugar e acabei caindo nas graças de um rapaz… Ilusão acontece, claro. Houve um momento que senti “todos os homens são iguais” e foi esse o motivo e frase que procurei na internet (motivo um pouco desesperador) e acabei encontrando seus textos… Me senti bem, não são todos iguais. Li muito. Até certo ponto que me fez bem e me fez pensar… Melhor ainda saber que há alma nesse lugar, alma boa para poesia. Parabéns, gostei de tudo que eu li e espero ler teu livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.